Gostaria de compartilhar com vocês um pensamento que me ocorre, e que com certeza não apenas a mim, mas a toda sociedade, de forma que a melhor maneira encontrada por nós para lidar com isso é ignorar e seguir regras as quais ninguém sabe quem criou.
A melhor maneira de explicar algo é através de exemplos, metáforas, histórias etc, e utilizando vocabulário coerente com a situação.
Um bom exemplo inicial é uma sitação que ocorreu com um casal:
Ele sempre a buscava em sua casa às sextas-feiras ou finais de semana por volta de 21 ou 22 horas. Quando saia, ela se despedia de seu pai e de sua mãe e dizia: “mãe estou indo na casa dele ver filmes”, obviamente que ela não saía com esse intuito e só retornava por volta de 3 a 4 horas da manha, pois, apesar do longo tempo de namoro ela não dormia fora de casa.
Certa noite, ela disse a seguinte frase “nossa eu vou chegar em casa com o cabelo molhado, o que minha mãe vai pensar ?”.
Não resistindo à frase e tentando ser sutil, ele responde:
Você tem 24 anos e namora a mais de um ano, você já parou para pensar o que sua mãe, seus irmãos, seu pai e vizinhos pensam quando você toma banho, se arruma e sai as 22h e volta de madrugada?
Pensam a mesma coisa porém de formas diferentes, exemplo:
A mãe – Nossa minha filhinha já é mocinha, toda encantada com seu namoradinho, ai como era bom quando tinha essa idade. Ela chega em casa até mais feliz depois dessas noites de amor pontuais que ela tem.
O pai – Filho da put* comendo minha filha, a gente se mata pra criar e depois de tudo pronto vem um cara desse aqui toda semana, leva, come e trás de volta, é fod*.
A irmã mais nova – He He He, a lá, ela fazer coisas com o namorado He He He.
O irmão e os amigos – Óh lá o maluquinho que ta comendo sua irmã , é ela não sou eu, to nem ai .
O cachorro – É hoje ela ta no cil.
Agora uma pergunta simples: se todos sabem o que ela vai fazer na casa do namorado religiosamente toda semana, porque não somos realistas? Porque não dizer: “Pai , Mãe to indo na casa dele pra fazer sexo, vou voltar de madrugada tchau beijos”.
Ou ao menos, ser realista, porém sutil: “to indo pra casa dele namorar”, caso perguntem basta dizer: ”se duas pessoas se amam elas fazem amor!”, não é simples?!
Parte II
Caso Prostitutas
Tudo isso foi só uma introdução para o foco principal.
Um outro exemplo foi dado por uma pessoa que trabalhava em uma loja em frente a um puteiro e observando a rotina de trabalho das “profissionais”, almoçando na mesma mesa que elas e tendo uma convivencia, percebeu um fato interessante, que leva a pensar em uma questão.
Quem são as verdadeiras putas e putos da sociedade?
No meio da semana, durante o dia, o puteiro tem uma rotina totalmente diferente do que a maioria das pessoas pensam, nada de bebidas, shows, jogos, mas sim um público composto por velhos, deficientes, moradores de rua, imigrantes ilegais e sujeitos com problemas psicológicos diversos. E não para por ai, além de ter esse publico “barra pesada”, muitas ainda tem que sair às pressas para ir pra faculdade, encontrar com seus namorados,etc. É isso mesmo, elas têem namorados. Tem a rotina mensal da vigilância sanitária e ainda tem que manter o bom humor e sorriso no rosto independente dos problemas pessoais. Parece exagero, mas é de partir o coração ver a puta mais sorridente de todas, trabalhando com os olhos inchados por ter chorado a noite toda. Realmente é um trabalho para poucos.
Voltando ao assunto “namorado”, a maioria não beija na boca e nem faz sexo anal, pois esses prazeres são reservados apenas para seus namorados ou esposos, os quais elas não “traem”, encaram apenas como trabalho, recusam propostas de viagens o de dinheiro fora do horário de expediente afins.
Resumindo, se cuidam, estudam, não traem e trabalham pesado… pelo menos uma parte delas!
Em contra partida vejamos um outro exemplo interessante:
Havia um rapaz que morava na casa dos pais, tinha um trabalho simples, jogava futebol, andava de bicicleta e tinha uma namorada. Um jovem comum e até com um pensamento considerado antiquado hoje em dia, ele dizia: Pra mim ela é suficiente, gosto dela e a gente se da bem.
Passado algum tempo, ele se separou da namorada, mudou de emprego, comprou um carro do ano e começou a fazer faculdade. Foi onde iniciou toda a sua mudança.
Certo dia, ele estava passando na rua em que mora desde que nasceu com seu carro novo, e uma vizinha, “gostosa” e que é moradora da mesma rua também ha muito tempo, e que nunca havia notado sua existência até aquele dia, disse a seguinte frase: “quando te vi passar aqui de carro seus olhos verdes me encantaram!”. Observação importante, o carro tinha vidros filmados e ar condicionado, impossibilitando ver quem esta dentro. Por fim, ela foi para o banco de trás e fizeram tudo que podiam. Hoje, se perguntar a esse rapaz como são seus relacionamentos, a resposta é simples: É pegar e descartar, sem compromisso, só por diversão, não tenho DR, transo com as melhores, não preciso dar presentes e nem agüentar sogras.
(Como o texto é enorme faça uma pausa e aproveite e click nas propagandas do lado direito do blog assim vocês ajudaram a manter esse blog no ar)
Parte III
As outras putas ou verdadeiras.
Vou colocar um exemplo bem simples e sem muitos detalhes com o intuito apenas de enfatizar a idéia principal de moralidade composta pela sociedade.
Um rapaz, vindo de uma balada dormiu no ônibus e acordou no ponto final, com o barulho do cobrador acordando uma moça na mesma situação.
Olharam um para o outro, sorriram e foram caminhando juntos na mesma direção, trocaram telefones, combinaram de se encontrar na casa dele e definiram tudo o que fariam. Chegando sábado, ela foi até a casa dele, mesmo com a distância que é de quase três horas, fizeram tudo o que podiam e uma semana depois ele aceitou o convite de ir até a casa dela retribuir o “favor”, porém ele levou um amigo (ou melhor dizendo um segurança), ela convidou uma amiga e fizeram novamente tudo que tinha direto, inclusive os dois que nem se conheciam fizeram o mesmo.
Para que essa moça fosse chamada de prostituta só faltou uma transação em dinheiro.
Pense na seguinte situação:
_ Alo, é do puteiro?
_ Sim.
_ Gostaria de uma puta assim, assim, assado.
_ Ok, lembrando que nossa meninas não gostam que gozem na boca e nem de sexo anal.
_Ok.
_ Já ia me esquecendo para semana que vem separa essa e mais outra para meu amigo.
_Sim, anotado, batata frita e coca cola acompanha Sr.?
_ Só isso mesmo, obrigado.
Pior não para por ai!
Enquanto isso no ambiente profissional…
Dois companheiros de trabalho conversando via MSN.
Resumido e sem emotions.
Ela -Oi
Ele -Oi
Ela -Não fala mais comigo metido?
Ele -Sim sempre falo.
Ele -Inclusive ia falar pra marcamos alguma coisa.
Ela -O que tem de bom perto da sua casa?
Ele -Varias coisas.
Ela -Ok eu vou la sábado.
Ele -Fechado então por volta das 22:00, ai depois eu ti levo embora.
Ela -Posso levar uma amiga?
Ele -QUE!!!!????
Ela -Deixa de ser bobo ela vai com o namorado dela e volta antes, se eu to indo na sua casa, eu sei o que vc quer e o que vamos fazer…
Ele -Deixa pra levar ela uma próxima vez.
Ela -Combinado então.
Ela -Xau.
Final da história, o mesmo das outras, com tudo que tem direito etc.
Segunda feira na empresa…
Ele -Oi
Ela -Oi
Ele -Você pode separar tais documentos pra mim?
Ela -Sim
Ele -Obrigado
Vamos pensar, quem é verdadeira puta, uma prostituta ou as pessoas nos exemplos?
Enfim finalmente o final!
Mantendo essa linha de exemplos daria dois livros: “desde sexo em lugares públicos” e “promiscuidade total e autorizada com os envolvidos conscientes que traem e estão sendo traídos”.
Para finalizar alguns conteúdos interessantes do café filosófico da rede cultural com temas na mesma linha de raciocínio os quais eu recomendo.
Ser prostituta de luxo ou dona de casa?
Imaginem se as mulheres pudessem escolher, tente colocar na balança vantagens e desvantagens.
A sociedade gosta de fazer amor ou sexo?
Um simples comentário, se gosta de amor porque o papai e mamãe vão ao motel comemorar o aniversário de casamento?
A sociedade tolera tudo relacionado a sexo,? Desde que não misture com os valores impostos por ela.
É fácil entender, a pedofilia sempre esteve a solta e ainda esta, basta ir em cidades isoladas ou acessar a internet, porém se o envolvido com a pedofilia for um padre, pronto, o escândalo esta formado.
Outro lado do pré-conceito: Donas de casa vêem na televisão, ou em grades outdoors no centro da cidade propagandas de revistas pornôs, sexshop, manequins sensuais etc. e não reclamam até ver seu filho com uma revista dessas.
Como prometi no começo não tenho resposta mas já que todos gostam de pensar em sexo pensem nesses assuntos…
(Adailton G. Ferreira 2010)




31 thoughts on “Sociedade e Seus Preceitos

  1. O desejo sexual, paixão, tesão, ou seja lá como é chamado, trata-se de uma doce magia ou tudo não passa de um processo químico que nos endoidece? Desorientação, urgência, suores, tremedeiras… Tudo isso são sintomas de uma doença?

    Se for eu quero meu remédio….

    adrenalina + endorfina = a química do desejo

    e se para isso tiver que mentir para sociedade puritana…

  2. Realmente é de se pensar. Tem muita hipocrisia sim na mente das pessoas e ninguém deve julgar o outro. O que deve importar é não ferir as pessoas que se importam com você nem desrespeitar o limite do outro. A outra pessoa deve estar consciente do que está fazendo. Enfim, é um artigo que incita reflexões.

    Abraço

    Roma

  3. Acho que a gente realmente se vende, pelo o que é do nosso interesse, somos putos das nossas vontades, não tem jeito. Mas dessa forma dormimos com a mente em paz. Ser a puta, de fato, é escrachar a sutileza com a qual descrevemos nossos atos para o mundo. É sujo, todo mundo faz, mas se destacar por isso, não é pra qualquer um. As putas, sim, tem peito e caráter pra isso.

  4. O texto é realmente interessante e leva a pensar em muitos aspectos dos preconceitos da sociedade…
    Sexo é bom e todos gostam, mas pq dar títulos chulos a pessoas que apenas cuidam de suas vidas e dentro de seus conceitos gostam e não acham errado fazer sexo casual???
    O livre arbítrio não se enquadra aí tb???

    Será q o q fazemos não passa a ser errado apenas quando começa a prejudicar pessoas???

    Somos livres pra fazermos de nossas vidas o q queremos ou devemos fazer o q a sociedade impõe???

    E sociedade… quem cria as regras da sociedade???

    Muitas coisas pra pensar…

    Carol

  5. o texto é bom..o assunto abordado é execelente me fez pensar por dois momentos o quanto sou uma ” puta”
    mais achei o texto mto longo…vc embolou o meio de campo….na vdd o final ..eu achei…

  6. A hipocrisia é tão absurda que nos leva ao extremo de considerarmos as “putas” menos humanas que qualquer outra pessoa. Mas isso ocorre em vários setores da sociedade… Por exemplo, na música, se você estiver em casa ouvindo “Velhas Virgens” está errado, mas qualquer funk é aceitável… A verdade é que não estamos preparados para a verdade.

  7. Legal o texto…. mais tudo depende realmente do que vemos o que os outros veêm da nossa vida, e pior a importancia que damos a isso……
    Cada um viva a sua vida pois ela é curta e muita gente que te julga ou recrimina quase nunca te ajudou ou vai te ajudar em nada……

  8. Esse texto ficou bem legal. E apesar de ser mais uma história “batida” ainda nos faz refletir sobre o assunto. apesar dos exemplos que vc colocou ai, de garotas q saem só paara transar e nada mais o então chamado “sexo casual” vc as chama de Putas no bom sentido… mas meu pensa bem… a gente fica, se dedica e é fiel por vários anos a uma pessoa só… De repente, como se vc não fosse nada, como o q tdo q viveram não singificasse nada e como se seu coração fosse um orgão inanimado, a pessoa vem e termina com vc. Onde fica toda a dedicação e consideração?!?! em lugar algum… sabe pq?! o ser humano é mesmo um animal, um animal com necessidades fisiologicas como qualquer outro.. apesar de a sociedade impor, isso não é respeitado, ninguém respeita o outro, são todos egoístas e com vontades singulares. Bom… pensando nisso.. do que adianta vc manter um relacionamento limpo e saudável?!?! eu não julgaria como “puta” aquela q sai só por “sexo casual” mesmo pq, se for diferente, uma hora ou outra ela irá sofrer, e hj em dia, não temos mais tempo pra isso… a gente estuda, trabalha, trabalha mais e mais rs então sobra isso “suprir as necessidades fisiologicas” sem envolvimento emocional. Já a prefissional do sexo, não esta suprindo sua necessidade, ela esta trabalhando e ganhando pra isso. São coisas diferentes com certeza. Well… não entenda q eu sou assim rs… somente q eu não julgo mal. E diga- se de passagem, não esqueçam das doenças claro, sexo é uma delícia… ainda mais qdo feito com amor e responsabilidade… quer “dar” por “dar” rs previna-se 😉

  9. Gostei muito do texto em questão … parabéns …
    Tudo isso porque vivemos em uma sociedade que aceita tudo ou não aceita ? Fala e ouve tudo, sem parar para ouvir ou falar … Os que ousam a falar, quando o fazem ou são criticados, taxados, mas são … e os que simplesmente mandam o foda-se a essa sociedade se calando, são os que mais falam. Temos que ver, que fazer sexo ou amor, vem dos primórdios, isso é instinto humano, porem temos discernimento, para sermos discretos ou “esconder” por respeito, ou medo. E por isso não podemos dizer quem esta certo, ou errado, não da para falar quem é puta e quem não é, porque todos somos, em algum ponto de vista. E isso pode mudar assim como mudou de 1930 para cá, … aproveitando o carnaval um pequeno exemplo de banalização … vi uma cena muito inusitado e repetitiva, que se encaixaria em uma nossa discussão … homens e mulheres que nunca se viram, se beijando ao se encontrarem pelo caminho, depois virando as costas e vão embora. É … um simples beijo que as prostitutas dão tanto valor, as menininhas de “família” dão com tanta facilidade … a promiscuidade esta nos olhos de quem vê ou na boca de quem fala ? Já, já estarão fazendo sexo em nossas calçadas e acharemos normal ? A sociedade tem que impor algum juízo de valor, a titulo de respeito, pelo menos um pouco, sem voltarmos para ditadura ou nos lançar em Sodoma e Gomorra.

    Jr.

  10. Hoje vivemos em uma sociedade totalmente diferente de 10 anos atrás … 20 anos etc…

    A criação e costumes mudaram … a realidade é outra…

    Homens não precisam mais fazer etapas de conquista para levar prá cama uma mulher … porque a mulher acordou e descobriu que se ela quer somente o rabo do boi… ela não precisa levar o boi inteiro …

    Resumindo … elas estão caçadoras iguais aos homens … não somos prostitutas … apenas queremos o mesmo que o homem … sexo .

    Estamos mais diretas referente à questão de nossas vontades e satisfação sexual… que é comum para o homem, usando sua gíria: comer e ir prá casa, e continuar cada um no seu canto, com sua vida normal.

    Mas parecem que eles ainda não se acostumaram com essa idéia de ser usados igual fazem conosco … uma troca de favores.

    Nada mudou olhando para esse ângulo , apenas nós mulheres … estamos mais maduras, menos dona de casa, menos inocente eperando aquele marido ou namorado malandro que passou a noite fora ou que se atrasou prá chegar em casa com uma desculpa esfarrapada.

    Eles não precisam mais enrolar e mentir prá ter aquilo que querem, pois é o que queremos… se encaram as mulheres como protitutas, homens são bem antes de suas existência … mas fazer o que nesse país maxista … isso é um preconceito com as mulheres de hoje, por sermos mais diretas, mas claro que também há fase que queremos algo sério …é claro rsrs.

    Referente ao assunto do namoro da filha eis a questão. Há a frase: o que os olhos não veêm e os ouvidos não escutam … o coração não sente e não infarta rsrs…

    É igual mulher traída… enquanto só acha, é uma coisa … continua do mesmo jeito…só na suspeita… mas depois que vê e sabe a verdade…uhmmmm o barato fica louco…

    Melhor se enganar com a dúvida e ficar tranquilo do que encarar a realidade… infelizmente é assim … mas é o que acontece… fazer o que rsrs…

    Ser direta com o parceiro é uma coisa … agora ser direta com os pais … muda da água pro vinho rsrs … ai ai

    Bjocas …

  11. Bom o interessante e que certas situações estão presentes na sociadade ha decadas, sempre haveram criticas, sempre haveram defençores dos bons custusmes,que a sociadade tanto preza, mas como diraria Marcelo D2 falar de mim é facil dificil é ser eu, o falador, se não for ajudar não atrapalhe.

  12. Sua amiga Pri detalhou muito bem. A vontade da mulher sempre esteve ali, porem ela nao tinha como falar. Mas hoje neste mundo podemos sim transformar nossa vontade, desejos em algo real.
    E pra mim ela nao é uma puta, ela é so uma mulher com vontades a serem saciadas.

  13. Olá! Geralmente eu respondo em particular, mas como o comentário foi no anonimato é até bom que a resposta já fica para todos os leitores:

    O logo nem de longe ele é exatamente igual o Google, porém ele foi elaborado com o mesmo formato de letras da Microsoft a maior empresa de sistema operacional, o fundo utiliza as cores do Ubunto, o mais usado sistema operacional gratuito e por sua vez as cores do Google o maior no seu seguimento.
    Muito longe de querer insinuar que “adailtec” é maior, mais usado, ou melhor, mas com a intenção de, sempre que alguém olhe para esse logo tenha a impressão de já ter visto em algum lugar.

    Essa é uma pratica já adotada no mercado a muito tempo, por exemplo por:
    As cores da Leo Madeiras e da Joly Materiais para construção, A empresa o provedor Tecla e o Antivírus Avast ou mesmo o Macdonald’s e o Habbib’s.

    Abraços e qualquer duvida entrem em contato pelo adailtec@gmail.com

  14. Muito do que é considerado aceitável ou não pela sociedade, foi imposto no cristianismo, antes os Gregos e os Egípcios não tinham um terço das regras que infelizmente encaramos hoje. Mas fazer o que mudar o jeito de pensar do mundo inteiro é complicado, mas aos poucos vamos evoluindo…

Deixe uma resposta para Adailtec Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *